Buscar

Lições para projetar uma sscx / tracklocross

Para criar nossos modelos de sscx e tracklocross, aproveitamos muito do que vimos nessa bicicleta que, por acaso, acabou se tornando um dos nossos protótipos.

Digo "por acaso" porque sua montagem (dessa maneira) nunca foi planejada.

O quadro veio de uma bicicleta fixa, peças variadas de várias partes, e um protótipo antigo de garfo... Se, quando a vida dá limões, faz-se uma limonada; isso tem que valer para essa SSCX, cuja combinação acabou formando um conjunto lindo:


O que é SSCX ou Tracklocross?

A sigla SSCX vem de SingleSpeed CycloCross. As cyclocross são bicicletas cambiadas usadas em provas de circuitos intensos com trechos grama, lama, areia e outras adversidades. Sua geometria remete às roads, porém possuem o com wheel clearance necessário para pneus mais largos e cravudos, bem como central mais alto. Como o nome mesmo sugere, a versão single speed delas, dispensa o uso de marchas, tendo uma relação única e roda-livre. Uma SSCX, é portanto, uma variação das cyclocross que usa apenas uma marcha.

As tracklocross seguem a mesma lógica, porém são uma vertente das bicicletas fixas, adaptadas para essas mesmas condições de uso.


Sobre o QUADRO

O quadro nessa bicicleta havia sido feito para uma fixa com um central bem elevado e comportamento muito ágil, o que é ótimo para uma SSCX. Com uma forcinha e muita fé na boa montagem de rodas do Guilherme (que trabalha conosco e tem como uma das razões de viver montar rodas), conseguimos colocar pneus 700x35 no espaço do quadro.

Se eu fosse pegar trechos com barro ou com areia, certamente teria que substituir por pneus menores para liberar espaço para a sujeira que grudaria. Um par de 700x32 com cravos seria o ideal. Por ora, para andar na cidade, o conforto dos 700x35 está compensando.


Quanto aos freios, o conjuntos de ferradura no padrão normal de tamanho ficava impraticável de colocar e tirar a roda sem precisar murchar os pneus 700x35. Acrescentamos as esperas para os freios v-brake, que abriram o espaço necessário:


Um detalhe é que a puxada dos freios v-brake é diferente dos ferradura e, para manetes drop, isso deve ser levado em conta. É difícil encontrar opções de manetes drop para v-brake, mas o Guilherme tinha parado um par de Tektro RL520 que era perfeito para o caso:


Além disso, os passadores de cabo foram posicionados na parte de cima do top tube para não atrapalharem ou machucarem os ombros nas situações em que é necessário carregar a bicicleta.


Sobre o GARFO

O garfo é um protótipo de garfo em aço 1020 que havíamos feito e que acabou não compensando comercializar.

Feito em aço, ele absorve muito bem as vibrações do piso, ficou muito mais confortável do que o de alumínio que usava anteriormente. Porém, sofre a mesma limitação do quadro com relação ao tamanho de pneus, já foi uma luta e muita lima para receber o 700x35.


Impressões do comportamento

Como era esperado, a bicicleta ficou muito ágil por conta do quadro, compensando o garfo com geometria mais relaxada. O central ficou bem alto em relação ao solo, o que potencializa essa sensação e te mantém sempre atento. Fica difícil relaxar pois qualquer inclinação do corpo redistribui o peso e a bicicleta prontamente passa a curvar. Isso pede ser visto como um problema para quem gostaria de uma pedalada mais relaxada, com uma bicicleta mais estável. Mas, se o que se procura uma bicicleta muito esperta e divertida para andar em uns trechos acidentados aos quais uma fixa não fazem parte, ela ficou ótima. E isso é o que se deveria esperar de uma SSCX.


Novos modelos

Por conta do objetivo do projeto inicial desse quadro ser outro, o centro de massa do corpo acabou ficando mais projetado para a frente do que eu gostaria para andar em situações que é necessário jogar o corpo para trás. Isso é muito frequente andando em trechos mais acidentados para passar obstáculo, de forma que foi um ajuste importante que levamos em conta para os modelos Gambá e Pantanera SSCX.

Para esses modelos também, uma prioridade foram pneus mais largos, com no mínimo espaço para pneus 700x38 com folga para a lama. Por fim, conseguimos separar entres eles os comportamentos diferentes: A Gambá tem a postura mais relaxada e estável, com a contribuição do garfo em chromoly; e a Pantanera SSCX prioriza a agilidade e a postura mais agressiva.


Mais alguns detalhes


Qualquer dúvidas, comentários ou sugestões, mandem aí! Abraço e até mais (:


Angelo Trois.

95 visualizações1 comentário

COVID-19: seguimos atendendo. Fila atual de espera: 4 meses para modelos e 6 meses para bespoke.

REPÚBLICA BICICLETAS

Feito à mão em Porto Alegre, Brasil

  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone Instagram